Resultados da sua pesquisa

Brasil e Búzios em busca do mercado turístico chinês


Turismo

Com vistas a alavancar o fluxo turístico entre a China e o Brasil, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) solicitou um estudo de benchmarking sobre o mercado chinês.

A China é atualmente o maior mercado de turismo emissivo do mundo em termos de números de viagens e também de gastos, e a estimativa do fluxo de visitas é continuar crescendo a uma taxa anual de 6% até 2020. De acordo com o estudo apresentado, em 2017, foram registradas 127 milhões de viagens, um aumento de 7% em relação ao ano anterior. Os gastos foram de US$ 115,9 bilhões, o que representa um crescimento de 5% quando comparado a 2016.

 

A China é atualmente o maior mercado de turismo emissivo do mundo em termos de números de viagens e também de gastos, e a estimativa do fluxo de visitas é continuar crescendo a uma taxa anual de 6% até 2020. De acordo com o estudo apresentado, em 2017, foram registradas 127 milhões de viagens, um aumento de 7% em relação ao ano anterior. Os gastos foram de US$ 115,9 bilhões, o que representa um crescimento de 5% quando comparado a 2016.

Recentemente, foi assinado acordo de cooperação para o incremento do turismo da China em Búzios, através da Secretaria de Turismo, Cultura e Patrimônio Histórico de Búzios. Se acordo com informações, o próximo visto eletrônico já em estudo será o da China.

O estudo encomendado pela EMBRATUR, mostra, ainda, que os países mais visitados pelos chineses em 2017 foram Hong Kong, Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos. “A meta é buscar parte dos milhões de turistas chineses que viajam para todo o mundo, não só em viagens de lazer, mas também de negócios e de eventos. Deste total de 127 milhões, o Brasil recebe apenas 55 mil”, alertou o diretor da Embratur.

Dos 1,4 bilhão de habitantes, 753,3 milhões são usuários da internet. Somente no ano passado, os chineses gastaram cerca de US$ 27,31 bilhões em consumo online de produtos relacionados a viagens. Os millenials chineses buscam informações online. O estudo mostrou que 95% deles estão conectados. “Por isso é muito importante que a abordagem de promoção dos destinos e dos produtos brasileiros ao turista chinês seja via online”, alertou Fernanda Bichels, da agência Talk2, responsável pela apresentação.

Fonte: Divulgação Secretaria de Turismo de Búzios – Publicado em 10 mai 2018, 15:30



  •  

     

     

     

     

Compare Anúncios